Entrevista: João Correia

A- A+

Todo mundo costuma adorar uma história sobre alguém que decidiu sair de onde mora, viver uma nova experiência, começar um novo trabalho etc. De fato, essas narrativas têm o seu valor.

Mas é particularmente interessante também a trajetória daqueles que nunca saíram de casa, simplesmente porque é lá que se sentem confortáveis, ou é onde a vida encaminhou de fazê-los permanecer. Uma pessoa que pode falar bem sobre isso é o João Correia, da Vara do Trabalho de Colatina.

Nascido e criado na Princesa do Norte, começou a sua empreitada em 1993 como servidor da Justiça do Trabalho na VT de Aimorés, no TRT de Minas Gerais. Como é uma cidade praticamente vizinha, ia para lá e voltava para Colatina, todos os dias.

Viveu na estrada por três anos, cruzando neste caminho com uma outra servidora que, ao contrário dele, morava em Aimorés mas trabalhava no tribunal capixaba. Até que em 1996 eles conseguiram inverter os papéis e, por meio de uma redistribuição, João conseguiu começar a trabalhar na própria cidade.

Formado em Direito, o colega se diz “muito grato a Deus” por poder exercer um cargo na JT. Hoje é secretário de audiência, e é esta sua função há mais tempo. Exatamente nesta data, no dia 19/11/2021, fazem 30 anos que o servidor tomou posse na Justiça do Trabalho.

É claro que sua dedicação ao lado profissional também não o impediu de se dedicar a sua família. Casado, o servidor tem três filhas: Mikaelly, de 22 anos, Manuelly, de 18 anos e Melissa, de 9. A filha do meio seguirá os passos do pai e começará em breve a faculdade de Direito.

Religioso, João toca saxofone como hobbie em cultos na igreja. São mais de 20 anos de experiência com o instrumento.

Mas os objetivos do colega não param por aí. Ele ainda cultiva o sonho de exercer a magistratura. Hoje, podemos chamá-lo informalmente, mas talvez em um tempo não muito distante vamos ter que usar a palavra “doutor” dentro das paredes do Tribunal.

Não que ele pareça alguém que faça muita questão de formalidades. João é um cara simples, de riso fácil e isso se percebe logo de cara. Nas palavras dele, uma pessoa que sempre “busca o lado bom da vida”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de ajuda?